Visita á "Porta do Tempo" de Valença do Minho


Um grupo de jornalistas, especializados em turismo e património, realizou uma visita à Fortaleza de Valença do Minho e ao Centro de Interpretação “Porta dos Castelos e Fortalezas do Alto Minho”, localizado no Paiol de Marte, numa iniciativa da CIM Alto Minho designada Viagem no Tempo Alto Minho 4D.

O Presidente da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira, deu as boas-vindas à comitiva e convidou-os a “viajar no tempo”, através da visualização de um vídeo que os transportou até ao período dos castelos medievais e das fortificações setecentistas do Alto Minho, numa experiência evolutiva das mesmas, culminando todas elas no período das Guerras da Restauração nesta região. Foi exibida, ainda, uma maquete à escala 1:72 de uma parte da Fortaleza de Valença que se encontra exposta neste espaço.

A iniciativa terminou com uma visita à Fortaleza de Valença.

A Porta do Tempo de Valença marca uma viagem, no tempo, pela história e memórias da Fortaleza de Valença e demais fortificações e castelos do Alto Minho, sendo o principal objetivo deste centro de interpretação, instalado no Paiol de Marte, um dos principais edifícios militares do centro histórico de Valença.
O Portal de Valença – Rota das Fortificações é um equipamento museológico que pretende dar a conhecer a história militar e as principais fortificações existentes no Alto Minho, em especial Valença.
Cada concelho do Alto Minho dispõe de um espaço físico, designado por Estação do Tempo, que se constitui como um “portal” de acesso a uma rota, a partir do qual se parte para uma viagem no tempo que pode ser feita de duas formas: uma viagem por uma determinada época por todo o Alto Minho, ou uma viagem pelos vários períodos da história e pelas marcas que deixaram neste território.
Artículo Anterior Artículo Siguiente
"rbtribuna") Por el final de las absurdas fronteras (políticas, sociales, burocráticas, económicas...) que aún subsisten entre España (singularmente Galicia) y Portugal...y que tanto perjudican a la ciudadanía ibérica