Braga : cartaz relâmpago, as duas noites de Festival Para Gente Sentada










Num cartaz relâmpago, as duas noites de Festival Para Gente Sentada regressam com espetáculos únicos de Manel Cruz, Marina Herlop, Tomás Wallenstein e Yussef Dayes.

Manel Cruz | Marina Herlop
Sexta-feira, 26 de novembro, 21h30
M6 | Sala Principal


A 18.ª edição do Festival para Gente Sentada acontece nos dias 26 e 27 de Novembro e abre com o emblemático músico e compositor Manel Cruz e a irreverente pianista Marina Herlop.

Manel Cruz

«O acontecimento de tocar a solo é para mim um coisa recente. Comecei por limitar-me a tocar as minhas canções num formato acústico e na sua vertente mais convencional, que continua para já a ser a base. Mas fui percebendo que em todos os espectáculos a interação com o público os tornava diferentes em diversos aspectos. E começou a interessar-me esta ideia de assumir aquele espaço como um lugar antes de mais de experimentação, quer ao nível musical quer da interação com outras disciplinas, e até mesmo com o público. E conferir-lhe esse carácter evolutivo na sua própria génese. Para mim é uma casa nova com vontade de ser vivida.» Manel Cruz

Marina Herlop

Depois de um silêncio criativo de três anos, Marina Herlop está de regresso às edições com “Miu”, tema que assinala a estreia da cantora-compositora pela editora germânica PAN — casa-mãe para nomes como Eartheater, Pan Daijing ou Amnesia Scanner. O tema cruza as técnicas milenares do konnakol, que usa as sílabas para reproduzir a percussão dos tambores, com avançados processamentos eletrónicos e representa o primeiro vislumbre de um álbum que deverá sair nos primeiros metros de 2022, e que servirá o mote para a primeira atuação da artista em Portugal.

Tomás Wallenstein | Yussef Dayes
Sábado, 27 de novembro, 21h30
M6 | Sala Principal


A segunda noite do Festival é embalada pelo piano de Tomás Wallenstein e pelas sonoridades compostas pelo talentoso baterista Yussef Dayes.

Tomás Wallenstein

Depois de se estrear numa data única no Lux, em Setembro do ano passado, o músico e compositor ingressou neste final de 2021 numa digressão de concertos a solo, ao piano, por vários palcos do país. Num espírito exploratório ou até quase académico, o repertório sugerido é uma compilação de versões de outros autores, compositores ou poetas, que naquele instante se reunirão em cada sala. Ao poder fazer das suas vozes a sua própria, a intenção é aprender com o gesto, mas também insistir na partilha das ideias e das canções, que depois de nascerem de um só criador passam a pertencer a toda a gente

Yussef Dayes

Um regresso muito esperado a território nacional de um dos bateristas jazz mais dotados da atualidade, conhecido pelo seu projeto Yussef Kamaal.

Comprar








Artículo Anterior Artículo Siguiente
"rbtribuna") Por el final de las absurdas fronteras (políticas, sociales, burocráticas, económicas...) que aún subsisten entre España (singularmente Galicia) y Portugal...y que tanto perjudican a la ciudadanía ibérica