Braga) Requalificações do Mosteiro de Tibães, Museu D. Diogo de Sousa e Museu dos Biscaínhos avançam em 2023

Ricardo Rio durante su intervención en el solemne acto

Decorreu hoje, dia 20 de Novembro, a assinatura dos contratos interadministrativos de cooperação para as intervenções de requalificação previstas no Mosteiro de São Martinho de Tibães, no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa e no Museu dos Biscainhos, em Braga.

Estes três espaços estão entre os museus, monumentos e palácios identificados como de intervenção prioritária no âmbito das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência. As intervenções terão início em 2023.

No total será alocada uma verba superior a 5 milhões de euros para a requalificação e colocação de internet ´wi-fi´ nestes espaços, de acordo com a seguinte distribuição: 3,2 milhões para o Mosteiro de São Martinho de Tibães; 656 mil euros para o Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa e 1,3 milhões para o Museu dos Biscainhos.

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, as intervenções vão dotar os espaços de uma qualificação física e digital capaz de tornar a experiência dos visitantes bastante mais completa e agradável. 

“Estas requalificações serão uma enorme mais-valia para a Cidade e surgem na sequência de um trabalho continuado de melhoria do nosso património e equipamentos culturais. A possibilidade de realização destes projectos a nível municipal, atendendo à vocação e experiência dos municípios na execução deste tipo de trabalhos, é também um bom exemplo de relação entre os vários patamares da administração”, afirmou. 

As obras no Mosteiro de São Martinho de Tibães visam a igreja, a cerca monástica e o jardim histórico, em termos de conservação e restauro, assim a beneficiação de fachadas, coberturas e sistemas de drenagem pluvial. 

No Museu dos Biscainhos está prevista a reabilitação de fachadas e a melhoria das condições de acessibilidade. Já no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa estão previstas obras de conservação interior, a revisão de condições ambientais da área expositiva e a infra-estrutura eléctrica.

Os protocolos foram assinados pelos representantes do Município de Braga, DGPC, DRCN e GEPAC. 

A iniciativa contou ainda com as presenças da Ministra da Cultura, Graça Fonseca, da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, do Director-Geral do Património Cultural, João Carlos Santos, da Directora Regional de Cultura do Norte, Laura Castro, da Directora do Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais, Fernanda Heitor, e da Directora do Museu dos Biscainhos e do Museu D. Diogo de Sousa, Isabel Silva.

La Ministra de Cultura durante su intervención



Firma de los compromisos


Artículo Anterior Artículo Siguiente
"rbtribuna") Por el final de las absurdas fronteras (políticas, sociales, burocráticas, económicas...) que aún subsisten entre España (singularmente Galicia) y Portugal...y que tanto perjudican a la ciudadanía ibérica