João Barrento recebe Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva

João Barrento

Promovido pelo Município de Braga e Associação Portuguesa de Escritores

João Barrento recebe Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva

O Município de Braga e a Associação Portuguesa de Escritores entrega a 24 de março o Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva a João Barrento, docente universitário, ensaísta, tradutor e promotor de singular iniciativa cultural. A cerimónia terá lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelas 17h30.

Este reconhecimento, deliberado por unanimidade pela direção da Associação Portuguesa de Escritores, é justificado pelo “percurso notável do autor, seja nomeadamente enquanto académico e cronista no espaço mediático ao longo de muitos anos, seja pelo brilho incomum das suas traduções de grandes poetas (Hölderlin, Goethe e Walter Benjamin, entre outros) e da ação no Espaço Llansol, a todos os títulos modelar. João Barrento é uma personalidade maior da cultura portuguesa contemporânea”.

O Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o patrocínio da Câmara Municipal de Braga, foi apresentado em 2021. A cada dois anos atribuirá aos mais proeminentes poetas, ficcionistas e ensaístas portugueses um prémio de 20.000€.

Este prémio, cuja primeira edição foi em 1992, mas suspenso em 2017, já distinguiu Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andresen, José Saramago, Óscar Lopes, José Cardoso Pires, Eugénio de Andrade, Urbano Tavares Rodrigues, Mário Cesariny de Vasconcelos, Vítor Aguiar e Silva, Maria Helena da Rocha Pereira, João Rui de Sousa, Maria Velho da Costa e Manuel Alegre.

Em 2021, após um desafio lançado à Câmara Municipal de Braga, associou-se à anterior designação o nome de Vítor Aguiar e Silva, antigo professor catedrático da Universidade do Minho, reconhecido ensaísta e vencedor dos prémios Vida Literária em 2007 e do Prémio Camões em 2020, entre outras distinções.

Com esta parceria, o presidente da Associação Portuguesa de Escritores, José Manuel Mendes, refere que se recolocará “o Prémio Vida Literária num lugar marcante do panorama cultural” continuando a distinguir “as figuras mais proeminentes da nossa literatura”.