rbtribuna.

Esto escribieron en su "postal del día" que envían por e-mail a sus adeptos :

Uma exibição soberba em Bruges, de efeito ampliado pelas defesas extraordinárias de um senhor guarda-redes que travou o terceiro penálti na prova, e até a repetição, fez mais do que devolver o resultado e vingar a derrota no Dragão. Porque Taremi bisou, Evanilson marcou, Eustaquio faturou e o Atlético de Madrid não ganhou, o FC Porto garantiu ontem mesmo a qualificação para os oitavos de final da Champions e, mais do que isso, posicionou-se para atacar o primeiro lugar dos belgas, quando, na terça-feira, receber os “colchoneros” na última jornada.

Dispostos para “ganhar ou ganhar”, os azuis e brancos dominaram desde o primeiro instante, desperdiçaram várias oportunidades para construir uma goleada mais expressiva e viram Diogo Costa negar por duas vezes o empate enquanto fazia história e se tornava, aos 23 anos, o primeiro guarda-redes a defender três penáltis na mesma edição da Liga dos Campeões. O segredo, resumiu o próprio no final, foi a capacidade de os jogadores darem “a cara uns pelos outros”. E ali, naqueles dois instantes, Diogo deu também a mão. A direita em ambos os casos.

Diogo Costa, que não esteve só no relvado, também não garantiu a exclusividade dos destaques de Sérgio Conceição, que se referiu a um guarda-redes “cheio de qualidade” antes de alargar o alcance dos elogios a várias “individualidades”. Antes e depois dele, houve também “um coletivo muito forte” e “exibições fantásticas” que fizeram toda a diferença e deixaram o treinador a falar de um desempenho “muito competente” da equipa. Estava, por isso, “muito satisfeito” e com razões de sobra para dedicar a vitória à família. Do apuramento só soube mais tarde, ao final do jogo de Madrid, onde o Leverkusen impôs um empate.

Depois de bisar na Alemanha, Mehdi Taremi bisou também na Bélgica, acrescentando à exibição e à estatística a assistência para o golo de Eustaquio, contabilidade que lhe valeu a condição de MVP da UEFA e motivos para ficar especialmente “feliz” pela vitória e pelo reconhecimento, mesmo distinguindo na dupla defesa de Diogo Costa (ao penálti e à repetição) “o momento mais importante” do jogo.